segunda-feira, 1 de julho de 2013

Estilista Elsa Schiaparelli

    Elsa Schiapareli nasceu em Roma, na Itália, em 1890. Neta do famoso astrônomo, que descobriu os canais do planeta, Marte, Giovanni Schiaparelli, sua família possuía uma boa situação financeira, o que permitiu que ela fosse estudar na Suíça e em Londres, onde conheceu aquele  que veio a ser seu marido, filósofo e jogador, Willy de Kerlor, em 1913.

     O casal se mudou para Nova York, nos EUA, país onde nasceu sua filha Gogo, que viria mais tarde a lhe dar uma neta, a atriz Marisa Berenson. Seu casamento não durou muito tempo e Schiaparelli, com uma filha pequena para cuidar, não conseguiu sobreviver sozinha na América e voltou para a França, em 1922.
Nessa época, ela desenhava e já começava a vender seus primeiros tricôs. Encorajada pelo estilista e amigo Paul Poiret, Schiap abriu sua primeira butique em 1927, e, em 1929, apresentou sua primeira coleção que foi um sucesso.

       Elsa Schiaparelli sempre esteve ligada aos artistas de sua época. Era amiga de muitos, como Marcel Duchamp, Picabia, Man Ray, Stieglitz, Jean Cocteau, Christian Bérard e Salvador Dalí. Ela acreditava que a   moda não podia estar desvinculada da evolução das artes plásticas contemporâneas, sobretudo a pintura.

      Com seu progressivo sucesso, Schiaparelli se tornou a maior rival da famosa estilista Coco Chanel. Seus estilos eram totalmente opostos: enquanto Chanel criava roupas funcionais para a mulher moderna, Shiap fazia modelos surrealistas, exóticos.

      Schiaparelli e Salvador Dalí chegaram a trabalhar muitas vezes juntos, o que resultou em várias criações bastante particulares, como o famoso chapéu em forma de sapato, a bolsa-telefone, o tailleur-escrivaninha com bolsos em forma de gaveta, o vestido de seda pintado moscas, entre outros. Foi no surrealismo que ela encontrou a sua fonte básica de inspiração.

      Todas as coleções lançadas por Schiaparelli se inspiravam em fantasia e partiam de um ou dois temas dominantes. Uma de suas preferidas era a coleção de circo, com cavalos, elefantes ou acrobatas no trapézio, bordados em muitas peças, como os boleros, com botões de cabeça de palhaço e o chapéu em forma de sorvete.

      Sempre utilizando bordados e cores fortes, Elsa criou a coleção de  astrologia, na qual se destacava uma luxuosa capa de enormes signos do zodíaco bordados em ouro, assim como o motivo "phoebus", um sol radiante sobre um tecido rosa-choque. Elam passeou por muitos outros temas em suas coleções, como a música, o fundo do mar e a "Commedia dell'Arte", na qual também apareciam as capas, desta vez com losangos de veludo.

       Além de suas criações sempre impactantes, ela inovou nos materiais, como a fibra sintética, possibilitaram que Elsa executasse todos os seus sonhos surrealistas.Schiap buscava o efeito teatral através das cores vivas, não muito usadas naquela época. Ela conseguiu criar um tom de rosa tão forte, que chegava a ser dramático. Ela o batizou de "shocking", o seu rosa-choque. A cor foi usada por ela em muitas criações, desde chapéus até longas capas bordadas."Shockin" também foi o nome dado àquele que viria a ser o seu perfume mais conhecido, lançado em 1938. O frasco tinha a forma do corpo da então famosa atriz de cinema Mae West, que personificava a ousadia do estilo Schiap.

      Apesar de ter clientes como as atrizes Greta Garbo, Joan Crawford e Carole Lombard, ela não fez muitos figurinos para o cinema. Seu maior sucesso foi em 1937, com o filme "Every Day's a Holiday" com Mae West. Também ciou os figurinos dos filmes 'Artists and Models" e "Moulin Rouge", com Zsa Zsa Gabor, em 1952.

        Em 1939, quando explodiu a Segunda Guerra Mundial na Europa, Schiaparelli decidiu fechar sua maison. Ela preferiu colaborar com os esforços antinazistas nos Estados Unidos. Quando a guerra chegou ao fim, ela retornou a Paris, em 1945. Sua maison sobrevivera aos anos de conflito e logo foi reaberta.
Nessa época,, passaram por seu ateliê alguns estilistas famosos, como Hubert Givenchy e Pierre Cardin.Em 1946, Salvador Dalí desenhou o frasco do novo perfume, o "Roi-Soleil". A assinatura de Schiaparelli ainda produziu uma linha de malas e frasqueiras e uma coleção de prêt-à-porter, que foi vendida nos Estados Unidos.

      Apesar de todos os esforços para continuar sua produção, os tempos mudaram para Schiaperelli. Com dificuldades financeiras e problemas pessoais, ela acabou fechando sua maison em 1954. Em seguida, lançou um livro de memórias, intitulado"Shocking life", novamente a cor intensa que demonstrava Elsa Schiaparelli, que veio a falecer em 1973, aos 83 anos.

Elsa Schiaparelli














Nenhum comentário: