segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Hollywoodismo

Hollywood exerceu poderosa influencia sobre as tendências, penteados e maquiagem dos anos 1930. Os produtores consideravam o figurino uma peça central para o sucesso  de um filme; segundo Samuel Goldwyn, as mulheres iam ao cinema"primeiro,para ver as imagens e estrelas, e segundo, para conferir as novidades da moda".
De inicio, o cinema voltou-se para Paris a fim de buscar referências, mas isso se tornou um dilema; as mudanças na moda poderiam tornar um filme desatualizado de uma hora para outra. Depois de um esperado rebaixamento nas barras dos vestidos no final da década de 1920, medidas preventivas haviam sido tomadas para garantir que Hollywood nunca fosse pega de surpresa novamente.  Apesar de alguns estilistas de Paris (principalmente Elsa Schiaparelli) terem formado relações sólidas com os estúdios de produção. a Meca do cinema tentou construir seu nicho próprio de estilo.

Hollywood formou e promoveu seus Próprios estilistas, que se tornaram grandes nomes da moda por mérito próprio. Travis Banton e Edith, da Paramount, Orry Kelly, da Warner Brothers, e Adrian, do MGM, figuravam entre os mais bem-sucedidos.
A relação entre Hollywood e a indústria da moda estava longe do laissez-faire: desenvolveu-se rapidamente uma estrutura comercial para faturar em cima do lucrativo fascínio popular pelo estilos das estrelas. Eram comuns os modismos tie-ins, ou produtos derivados do negócio principal, por meio dos quais os estúdios promoviam modelos ou peças prontas para o uso.
Um dos mais memoráveis modelos da época é o vestido Letty Lynton, usado por Joan Crawford no filme homônimo de 1932. Desenhado por Adrian, era um vestido de organdi de algodão branco com dramáticas mangas bufantes. O modelo ajudou a impulsionar a tendência emergente das ombreiras, que vinham sendo vistas nas coleções de Schiaparelli.
A influêncianda indumentaria hollywoodiana não se restringiu às mulheres. Homens também prestavam atenção aos estilos dos grandes astros. Gary Grant, Gary Cooper, Edward G. Robinson e Ronald Coleman contribuíram para reforçar a tendência da alfaiataria britânica e das roupas de lazer americanas. De sua parte, Fred Astaire ajudava a popularizar os brogues, os sapatos tipo Oxford de dois tons ou duas cores combinadas.
Os cabelos curtos de Greta Garbo e as sobrancelhas arqueadas de Marlene Dietrich foram amplamente copiados, enquanto o loiro platinado das madeixas de Jean Harlow causava um boom na venda de água oxigenada. Mas Factor, o artesão de perucas e esteticista contratado pelos estúdios, lucrou com essa indústria nascente, lançado sua própria linha de cosméticos.
A influência do cinema continuou a afetar o mercado de moda e do estilo estilo através das décadas. A boina de Faye Dunaway em Bonnie e Clyde- Uma rajada de balas (1967), o visual concebido por Ralph Lauren para Diane Keaton como a protagonista de Noivo neurótico,noiva nervosa (1977) e o Vermelho-cereja do esmalte de unhas Chanel Rouge Noir usado por Uma Thurman em Pulp Fiction - Tempo de violência (1994)foram, todos, exemplos dos modismos que vazaram da tela grande para a vida.

Nenhum comentário: