quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Evolução do biquíni

Século 19

De acordo com a professora de história da moda, Miti Shitara, as mulheres iam à praia vestindo um calção bufante com uma túnica por cima, como mostra desenho inspirado em banhistas franceses na época.

1910

Na primeira década do século 20, o traje de banho já fica parecido com um maiô, mais fechado e com pernas, como mostram banhistas na Bélgica em 1911.

1920

A roupa de praia começa a ficar mais justa e mais curta. É comum usar sapatos na areia.

1930

Começam a surgir trajes de banho em duas peças. A parte de baixo cobre parte das pernas e o umbigo.

1946

Segundo o historiador da moda João Braga, é quando ocorre a legitimação do biquíni. Louis Réard lança coleção de roupas de banho com um conjunto de duas peças ousado, desfilado por uma dançarina, Micheline Bernardini, paga para usar a peça. O nome biquíni é em razão dos bombardeios atômicos no Atoli de Bikini, no Oceano Pacífico, imaginando que sua criação seria tão explosiva quanto uma bomba atômica.

1948

O biquíni é usado no Brasil pela primeira vez pela alemã Miriam Etz, no Rio de Janeiro. O modelo deixava o umbigo à mostra e virou notícia por aqui. Antes, era comum o uso de modelos que cobriam a região, conhecido como roupa de banho.

1950

Na década de 1950, os modelos de roupa de banho ficaram mais cavados, mas nada perto do biquíni francês. Somente após o uso do modelo pelas atrizes de Hollywood, como Jane Mansfield, é que ele começa a ser aceito pela sociedade.

1957

O sucesso do biquíni começou na década de 50, quando a atriz francesa Brigitte Bardot apareceu com ele no filme E Deus Criou a Mulher.

1960

A estilista inglesa Mary Quant, inventora da minissaia, também foi responsável pela popularização das chamadas hot pants, que já haviam feito parte dos primeiros trajes de banho no começo do século.

1961

Jânio Quadros, ex-governador de São Paulo, é eleito para a presidência da República em 1960 e, durante seu curto mandato (renuncia em agosto de 1961), proíbe o uso de maiôs em concursos de beleza e o uso de biquínis nas praias.

1962

A atriz Ursula Andress usa biquíni com cinto no primeiro filme da série James Bond, 007 Contra o Satânico Dr. No.

1964

O designer austríaco radicado nos Estados Unidos Rudi Gernreich cria o modelo batizado de monokini, peça que deixava os seios à mostra. Foi a primeira versão do topless e foi usado por sua modelo favorita, Peggy Moffitt.

1970

Leila Diniz foi personagem polêmico no Brasil nos anos 1960 e 1970. Criticada por ser muito ousada para o período, fazia declarações que causavam discussões e posou de biquíni, mostrando barriga de seis meses de gravidez, no Rio de Janeiro.

1971

Nos anos 1970, surgiu o modelo batizado de "tanga". A calcinha do biquíni era mais cavada e de cintura baixa. A parte de cima do traje também ficou menor.

1980

Na década de 1980, surge no Brasil o modelo "enroladinho": as mulheres enrolavam as laterais do biquíni para deixá-lo mais cavado. A prática deu origem ao modelo asa-delta.

1980

O modelo fio dental nasceu no Brasil, nos anos 1980, como evolução do asa-delta. O fio dental só vingou entre as brasileiras.

1996

A modelo Stella Tennant usa biquíni cujo top cobria apenas os mamilos durante desfile da Chanel. A aparição transforma a inglesa em supermodelo.

2002

Halle Berry usa biquíni inspirado no modelo visto em Ursula Andress 40 anos antes. A atriz americana é a Bond Girl no filme 007 Um Novo Dia para Morrer.

2010

A cantora Lady Gaga posa com biquíni feito de carne para a capa da Vogue Hommes japonesa de setembro. Apesar de ser conhecida pelos looks excêntricos, a foto causa polêmica entre os defensores dos direitos dos animais.

2013

A modelo australiana Miranda Kerr posa com o biquíni Chanel usado em 1996 por Stella Tennant para marcar o lançamento da edição digital da revista i-D
Foto: Getty Images
fontes: Terra

Nenhum comentário: