terça-feira, 25 de março de 2014

Estilo Gypsy – o Cigano contemporâneo


O que é o Gypsy – Um pouco de história

Alerta de tendência Estilo Gypsy – o Cigano contemporâneo história da moda
Grosso modo, na língua inglesa Gypsy significa Cigano – membro tradicional de grupos itinerantes os quais se originaram no norte da Índia (nota: há controvérsias) e agora vive principalmente no sul e sudoeste da Ásia, Europa e América do Norte.
Simples assim? Não.
Exatamente pela sua natureza nômade, é difícil de estabelecer as origens e localizações geográficas exatas destes grupos itinerantes alcunhados de Gypsies, ciganos, travellers, viajantes, peregrinos, entre outros.
Para simplificar o debate, podemos dizer que há dois “macro-grupos” de Gypsies: Os ciganos “ao pé da letra” e os peregrinos irlandeses. Ambos possuem estilo de vida nômade, mas são oriundos de grupos étnicos distintos. Existe um grande debate acerca de suas histórias, historiadores alegam que o povo cigano possui raízes na Índia, tenho migrado para a Europa no século 13. Já os viajantes irlandeses fazem jus à sua alcunha, ou seja, são primordialmente de origem irlandesa.
Além dos macro-grupos citados, cada clã (família) possui tradições distintas. Entretanto, há algo que inegavelmente está presente em todos os clãs: as cores vivas e a paixão por adornos (acessórios).

Aqui encontramos a deixa para começar a falar acerca do tema principal desta matéria:
O estilo Gypsy como tendência de moda.



Tendência de moda – Estilo Gypsy, o cigano contemporâneo

Alerta de tendência Estilo Gypsy – o Cigano contemporâneo moda
Inspirar-se em grupos étnicos, movimentos culturais e gêneros históricos sempre contribuiu para a criação de novas tendências. Emular o estilo cigano não é novidade na história da moda.
Por volta de 1830 elementos do gypsy e de várias outras culturas foram incorporadas pelos novos artistas franceses insurgidos da revolução, o espírito de anarquia e liberdade da época fazia alusão aos peregrinos (gypsies) e, visto que na época acreditava-se que os gipsies haviam se originado na Boêmia, uma área da Europa Oriental e dos Bálcãs, passaram a se referir aos intelectuais e artistas como boêmios.
O estilo boêmio teve tanta influência que inspirou vários movimentos culturais posteriores como, por exemplo, o Beatnik, o Flower Power, o Hippie (entre outros). Por fim, para enraizar ainda mais o estilo como um statement da moda, Yves Saint Laurent agregou luxo aos elementos étnicos e batizou sua nova criação de Bohemian, termo mais conhecido e utilizado hoje em dia como boho.

Assim sendo, já que o Boho teve raízes no Gypsy, elementos da cultura cigana também foram adotados pelos demais movimentos oriundos do estilo boêmio.



Boho versus Gypsy – Qual é a diferença entre os estilos

Alerta de tendência Estilo Gypsy e boho diferença 2

Há quem diga que Boho e Gypsy são sinônimos. Todavia, não obstante o boêmio tenha emulado características da indumentária cigana, eles NÃO são iguais, são estilos distintos com características semelhantes.

Apesar da estética parecida, tais estilos possuem origens diferentes e, portanto, preservam particularidades.
Ainda abordaremos o Boho com larga propriedade aqui no AB (são 200 anos de história, então se preparem!). Por ora, basta saber: o Boho tem características do Gypsy, mas o Gypsy existe independentemente do Boho. Grosso modo, podemos dizer que o Boho é uma atenuação o Gypsy.
Acreditem, já li em sites conceituados que o gypsy é um estilo inspirado no boho e no folk. Fico boquiaberta em como pessoas se propõem a escrever publicamente equívocos tão crassos!
As raízes históricas do gypsy são bem anteriores ao folk e ao boho atual. Logo, o correto seria escrever o inverso: O boho e o folk possuem inspiração no gypsy.

Alerta de tendência: O retorno do estilo Gypsy à moda

Nas ultimas décadas a alusão ao estilo cigano esteve um tanto adormecida, aparecendo somente em algumas tribos comportamentais e em elementos isolados nas coleções de designers de moda (com exceção do “divo” Pucci).
Contudo os fashion addicts de plantão provavelmente perceberam no ar (e nos sites do nicho, e nas ultimas temporadas de moda, e em fotografias de streetstyle, e no instagram) a overdose de acessórios, overdose de cores, overdose de tecidos e overdose de estampas – Tais fatores caracterizam e ilustram o forte retorno do estilo Gypsy à moda contemporânea.
Enquanto fashionistas já respiravam os ares do gypsy, a recente temporada de desfiles NYFW verão 2014 veio e ratificou de vez a tendência. Grifes como Donna Karan, Anna Sui e Nicholas K, desfilaram modelos altamente inspirados na cultura cigana (bom, a inspiração mor de Nicholas K foram as tribos indígenas, porém mesmo assim suas peças transpassam um “Q” do gypsy)
Nota: destaque para Emilio Pucci, quem em sua coleção Spring Sumer 2012-13 antecipou a tendência e compôs uma das coleções mais lindas que já vi! Dramática, eufórica, opulenta, fetichista – o ponto alto da representação do gypsy sobre o catwalk.
Alerta de tendência Estilo Gypsy – o Cigano contemporâneo Emilio Pucci


Alerta de tendência – Quais são as características do estilo Gypsy

Amores, ao invés de conceitos e regras, mostrarei como pensar a moda Gypsy. Acreditem, assim ficará bem mais fácil de entender o estilo.

Comecemos:
  • Quem aqui já apelou em usar camadas de roupas numa viagem de avião por medo de dar excesso de bagagem?
  • Quem tem o costume de passar o dia inteiro na rua e, por isso, “carrega a casa na bolsa”?
  • Quem aproveita os dias de festa para exibir a maior quantidade possível de adereços e acessórios?
Bom, reiterando o tópico anterior, os Gypsies (ciganos) são povos nômades cuja tradição inclui festas e celebrações.
Já estão conseguindo entrever o paralelo?
Então, para peregrinos, o corpo é a maneira mais prática de carregar seus pertences. Sendo assim, qual é o resultado da vestimenta? Exatamente a overdose de componentes!
Além da característica nômade, as celebrações tradicionais também influem sobre o estilo de roupa utilizada. Festas remetem à alegria e alegria remete às cores.
Pronto, pensando em silogismos conseguimos definir o estilo gypsy sem esforço! O título do livro de Herta Müller, prêmio Nobel de literatura, também serve como bela ilustração da tendência: “Tudo o que eu tenho trago comigo


Tendência Gypsy – Dicas sobre como usar o estilo cigano

A questão aqui não é ensinar-lhes a se fantasiar de ciganos, e sim mostrar como podemos utilizar elementos gypsies no vestuário cotidiano sem parecer que sairemos fazendo quiromancia pelas ruas (nada contra, pelo contrário! Parecer membro de uma autêntica família cigana apenas não é o objetivo de agora…).

- Adorne-se!

Alerta de tendência Estilo Gypsy – o Cigano contemporâneo acessórios
O gypsy perdoa (quase) todos os exageros em balangandãs. A onda do “pulseirismo”, dos múltiplos anéis, dos maxi colares e dos maxi brincos remetem ao gypsy. Contudo, a fim de engrenar ainda mais no estilo, certifique-se que a combinação de acessórios agregue metais e pedrarias.
Um acessório gypsy coringa é o brinco de argola (seja prateado ou dourado, mas seja grande!), item básico no arsenal de jóias de uma cigana.
Você sente que a combinação de roupas fluídas e multicoloridas não lhe cai bem? Apostar em acessórios é a saída para aderir à tendência sem necessariamente lançar mão das roupas características.
Ciganos são freqüentemente retratados usando GRANDE quantidade de jóias e acessórios, mas para uma releitura moderna, isso não é necessário.
Bolsas transpassadas e rasteiras de tirinhas também entram nesta categoria de adornos gypsy.

- Sobreposições e mistura de estampas e tecidos

Alerta de tendência Estilo Gypsy – o Cigano contemporâneo como usar mistura de estampas
Lembram quando, no tópico “Quais são as características do estilo Gypsy na moda”, perguntei-lhes “Quem aqui já apelou em usar camadas de roupas numa viagem de avião por medo de dar excesso de bagagem?” a fim de fazer um paralelo com o método de pensamento da tendência gypsy?
Então, exatamente por ter no corpo o melhor veículo de transporte dos seus pertences, a indumentária dos ciganos é caracterizada pela grande mistura de elementos.
Uma boa forma de trazermos tal característica para a contemporaneidade é exatamente sobrepor peças e misturar estampas sem medo de ser feliz!
Basta harmonizar os tons e ter em mente que o espelho é seu melhor guia. Você se olhou e não gostou do resultado? Então mude! Mesmo que aos olhos dos outros sua mistura esteja deslumbrante, o princípio básico da moda é seguir o SEU gosto pessoal.

- Pele à mostra. Aproveite a moda do cropped!

Alerta de tendência Estilo Gypsy – o Cigano contemporâneo como usar cropped
Tradicionalmente os ciganos são conhecidos por exibir suas figuras com corpetes e tops cropped, mostrando a linha da cintura. Embora os croppeds dos ciganos não sejam tão parecidos com os modelos em voga, os modelos atuais podem ser considerados um up-to-date da versão tradicional.
Você se sente desconfortável com modelos assim? Tente colocar um colete sem mangas por cima! O gypsy emanará ainda mais do look e a barriguinha à mostra ficará mais recatada.

- Lance mão de saias longas e fluídas!

Alerta de tendência Estilo Gypsy – o Cigano contemporâneo saia longa
Este modelo é um clássico da moda, um clássico em termos de conforto e um item que sempre perpassa ares gypsies.
Para as básicas, saias longas em cores neutras já enquadram a tendência.
Para quem gosta de ousar, jogue-se sem medo nas cores fortes e estampas.
Detalhe: é um engano pensar que só mulheres altas e magras podem usar tal modelo de saia. Saias longas alongam o corpo e afinam a silhueta, principalmente se forem de cintura alta.
Dica: Saia longa de cintura alta + blusa cropped resulta numa das combinações mais bonitas da tendência gypsy.

- Lenços são excelente pedida!

Alerta de tendência Estilo Gypsy – o Cigano contemporâneo como lenços com jeans
Item mega versátil, pode ser usado ao redor da cabeça, pescoço e cintura. Experimente também combinar mais de um lenço na mesma produção. Qualquer calça jeans e camiseta branca transformam-se num look gypsy apenas com amplos lenços estampados do redor do pescoço. Tente!




Nenhum comentário: