segunda-feira, 2 de junho de 2014

O japonismo na moda

Os estilistas do vanguardismo japonês causaram impacto explosivo sobre a moda da década de 1980. Seus desenhos intelectualizados, desconstruídos e envelopados promoveram um bem-vindo contraponto a uma época dominada por apelos aspiracionais, pelo zelo com a forma e pela valorização dos ombros.

Lançadas em Paris de 1981, as coleções de 1982 de Rei Kawakubo(para a Commes des garçons) e de Yohji Yamamoto provocaram um choque no mundo da moda. Ambos os estilistas desenharam um vestuário que desafiou as tradições. As modelos foram para a passarela com trapos adornando seus cabelos. sem maquiagem e com o lábio inferior levemente arroxeado como um hematoma. As roupas esfarrapadas não tinham relação com a forma do corpo e desafiavam a compreensão das plateias.

Em 1984, a revista GQ definiu a estética. "A moda japonesa é diferente. Estas são roupas que não estão em conformidade com nenhum padrão da moda. Elas buscam a abolição da forma.Caem no corpo em silhuetas grandes e incomuns de tamanhos grandes, e são quase sempre monocromáticas ou pretas ".

Os críticos de moda esforçavam-se para classificar tanto a estética quanto a motivação dos estilistas. Alguns, interpretando aquilo como uma declaração politica, inconvenientemente referiam-se ao estilo como "Hiroshima chic" ou "visual pós-Hiroshima". Outros, imprecionados pelo aspecto destruído das roupas, definiram-nas como o "visual mendigo", "trapeiro-chic" ou "estilo da jovem mendiga". No entanto, o impacto sobre a moda era inquestionavel, a ponto de o jornal francês Libération declarar "A moda francesa encontrou seus mestres: os japoneses".

Pressupostos ocidentais sobre o que deveria ser a moda japonesa foram contestados pela caracteristica não-cultural das coleções de Kawakubo e Yamamoto. Paris nunca havia dado lugar a tamanha subversão.
Apesar de todo o frenesi que desencadearam, as coleções não estavam fora de contexto.

Havia precedentes, uma vez que estilistas japoneses vinham marcando presença na moda ocidental desde o final dos anos 1960. Kenzo Takada, Hanae Mori e Issey Miyake já expunham coleções em Paris desde 1977.(Miyake, em particular, foi o visionário que fundiu vanguardismo artístico e habilidade técnica com a tradição do vestuário japonês,) Além disso, tanto Kawakubo como Yamamoto possuíam empresas já bem estabelecidas em Tóquio.

Modismos subculturais e subversivos ajudam a delinear o contexto no qual o vanguardismo japonês emergiu. Vivienne Westwood e Malcolm Mclaren, com a Seditionaries, marca associada ao punk, já haviam explorado a desconstrução em suas coleções. Não por acaso, o tempo pós-punk foi usado para descrever a aparência Avant-garde japonesa.

 A tendência que resultou no neorromantismo também mostrava paralelo com as sobreposições envelopadas da silhueta japonesa( além de outros detalhes caracteristicas) visualadotado em boates de Londres e explorado na passarela por Westwood. O vanguardistas japoneses se tornaram, depois, parte do establishment da moda, exercendo ampla influência.

Hoje, talvez a gente conheça mais o trabalho dele pelas peças da marca commes des garçons, que ainda está firme e forte, trabalhando dentro deste mesma proposta.

vintage-comme-des-garcons-1987-80s-1980s
Esta é uma peça da commes des Garçons, datada de 1987.

 
e haja preto!

 
ainda não cansou de preto...

 



Nenhum comentário: